Estudantes enviam ao G1 dicas para fazer uma boa prova no Enem

Grifar palavras-chaves das perguntas é uma das orientações.
Prova será aplicada nos próximos dias 3 e 4 de novembro.

Mais de 5 milhões de estudantes em todo o país participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos próximos dias 3 e 4 de novembro. As provas começarão às 13h, no horário de Brasília. Apesar de uma série de falhas marcarem o histórico do exame, o número de inscritos cresce a cada ano. Em 2012, o Ministério da Educação registrou a marca de 5,7 milhões de inscrições. No ano passado, foram 5,3 milhões de candidatos inscritos.
O G1 pediu para que os leitores enviassem dicas para aqueles que irão enfrentar as longas horas de exame. Confira que os internautas recomendaram.

Prática que leva à perfeição O estudante Eduardo Neves, de 18 anos, se inscreve no Enem desde 2009. Esta é quarta vez que o morador de Lutécia, no interior de São Paulo, faz o teste. “Em 2009, quando estava no primeiro ano do ensino médio, foi mais difícil. Tinha conteúdo que fui ver só ao longo do curso. Também não tirei nota boa na redação, que era sobre ética”, lamenta.

Mas a prática levou à perfeição. Sua pontuação em 2011 fez com que ele passasse na Universidade Tecnológica Federal de Paraná (UTFPR), em engenharia têxtil. Ele também conseguiu bolsa de estudos pelo Programa Universidade para Todos (Prouni) em uma faculdade particular. Porém optou pelo curso de história na Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), em Assis, no interior do estado, que tem vestibular próprio, mas também inclui o Enem na seleção dos calouros. “No ano passado, como estava no terceiro ano, foi bem mais fácil”, afirma.
Ele conta que quer continuar prestando o Enem mesmo sem a intenção de entrar em nenhuma universidade. “Vou fazer a prova novamente só para critério de treinamento e para tentar aumentar a nota em ciências humanas, que a minha área agora”. E completa: “Gosto da área de história aplicada para o estudo da educação no país. Quero ver a evolução do Enem e até onde ele vai.”

Leitura rápida Renan Matheus Macedo Tolfo, de 18 anos, prestou o Enem somente uma vez, no ano de 2011, em Porto Alegre (RS), cidade onde mora. E já na primeira tentativa conseguiu índice para entrar nas duas universidades federais para as quais se inscreveu: a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), onde cursou o primeiro período de direito. Renan conseguiu bons índices nas provas e, segundo ele, atingiu mais de 900 pontos na redação.

Quando o jovem fez o exame, não o achou complicado. Porém, ele acredita que o tempo trabalha contra o estudante. “O tempo é a principal barreira. Não adianta saber a matéria se você não tem a prática de ler rapidamente. Não posso nem dizer que é um problema, acho que é até algo que eles avaliam”, comenta. Por isso, ele recomenda que o aluno, ao ler a questão, grife as palavras-chaves que considera importantes. Assim, o estudante não precisará reler todo o texto quando for responder a pergunta. “Essa técnica foi fundamental para mim”, conta.

Olha o horário! Já é a quinta vez que Cláudio Márcio Azevedo Cortes, de 26 anos, irá fazer o Enem. Ele enfrentou a prova antiga, de 64 questões, de 2005 a 2008. Teve a primeira experiência com o novo teste de 180 questões e redação em 2009. “A prova mais antiga era uma prova mais rápida e mais fácil, não era tão elaborada. Agora ela é mais complicada. Principalmente no dia da redação. Preferiria que fossem três dias, assim, as 180 questões seriam mais bem divididas”, afirma.
A dica de Cláudio vai para os alunos que estão fora do horário de verão. “As provas serão aplicadas às 13h no horário de Brasília. Portanto, aqui em Currais Novos, no Rio Grande do Norte, onde moro, ela começará ao meio-dia”, lembra.
O atraso dos estudantes também pode acontecer por conta do tráfego de carros e ônibus, o que preocupa Cláudio. “Pessoas que irão fazer a prova em cidades grandes, que enfrentam congestionamentos e problemas com transporte público, têm que sair com bastante antecedência”, recomenda ele.

Comida leve e água A estudante, Renata de Lima Bonates, de 31 anos, fará o Enem novamente no Rio de Janeiro (RJ). Sua primeira experiência com a prova foi em 1997, quando o sistema era diferente. “Vou fazer o Enem para tentar entrar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)”, contou. Ela quer cursar educação física.
Renata diz que não estudou somente para o exame federal, já que está se dedicando ao máximo também para o vestibular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) –que tem vestibular próprio e não usa a nota do Enem em suas avaliações–, mas acredita que seus estudos se provarão úteis neste fim de semana.
Ela conta que é a sua primeira prova de muitas horas. “Nunca fiz uma prova desta duração. Acho que estou preparada”, diz. A principal recomendação que teve no cursinho onde estuda foi levar alimentos leves e água para o teste. “Aconselharam a levar água e comida leve, como barra de cereal.”

Muita vontade Morador de Ariquemes (RO), o estudante Diego Holanda Oliveira, de 14 anos, vai estrear no Enem em 2012. “É a primeira vez que eu presto. Estou com muita expectativa, já que é possível avaliar tudo o que eu estou estudando no ensino médio na prova”, conta.
Apesar de estar somente no primeiro ano do ensino médio, ele preferiu começar a treinar cedo. “A iniciativa de prestar o Enem antes partiu de mim mesmo”, conta. Ele confessa que não se dedicou tanto aos estudos para o teste do final de semana, mas disse que vontade não lhe falta. “Vou fazer a prova com esforço, para conseguir a melhor nota que eu puder”, afirma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s